Mensagem de Sua Santidade o Papa Francisco para o Dia Mundial das Missões de 2021

«Não podemos deixar de afirmar o que vimos e ouvimos»
(At 4, 20)

 

Queridos irmãos e irmãs!
Quando experimentamos a força do amor de Deus, quando reconhecemos a sua presença de Pai na nossa vida pessoal e comunitária, não podemos deixar de anunciar e partilhar o que vimos e ouvimos. A relação de Jesus com os seus discípulos, a sua humanidade que nos é revelada no mistério da Encarnação, no seu Evangelho e na sua Páscoa mostram-nos até que ponto Deus ama a nossa humanidade e assume as nossas alegrias e sofrimentos, os nossos anseios e angústias (cf. Conc. Ecum. Vat II, Const. past. Gaudium et spes, 22). Tudo, em Cristo, nos lembra que o mundo em que vivemos e a sua necessidade de redenção não Lhe são estranhos e também nos chama a sentirmo-nos parte ativa desta missão: «Ide às saídas dos caminhos e convidai todos quantos encontrardes» (cf. Mt 22, 9). Ninguém é estranho, ninguém pode sentir-se estranho ou afastado deste amor de compaixão.

Orientações da Conferência Episcopal Portuguesa

cepLiberdade responsável no Culto e nas atividades pastorais
[Lisboa, 30 de setembro de 2021]

 

1. Bendito seja Deus, Pai de misericórdia, que nos permite retomar gradualmente, de forma responsável, a normalidade da vida pessoal e comunitária, vivendo, convivendo, celebrando, sendo Igreja: assembleia convocada, reunida na presença do seu Senhor e por Ele enviada ao mundo como fermento de comunhão e fraternidade.
Nesta hora de ação de graças a Deus, queremos também exprimir o nosso reconhecimento a quantos deram um contributo significativo neste duro combate pela saúde, que ainda não terminou. Diante do Deus da Vida, em atitude de oração, fazemos memória dos inúmeros irmãos e irmãs que mais sofreram com esta pandemia e suas consequências, sobretudo daqueles que faleceram e suas famílias.

Mensagem do Santo Padre para o 107º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado

refugiados

26 de setembro de 2021
«Rumo a um nós, cada vez maior»

 

Queridos irmãos e irmãs!
Na carta encíclica Fratelli tutti, deixei expressa uma preocupação e um desejo, que continuo a considerar importantes: «Passada a crise sanitária, a pior reação seria cair ainda mais num consumismo febril e em novas formas de autoproteção egoísta. No fim, oxalá já não existam “os outros”, mas apenas um “nós”» (n. 35).
Por isso pensei dedicar a mensagem para o 107º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado ao tema «Rumo a um nós cada vez maior», pretendendo assim indicar claramente um horizonte para o nosso caminho comum neste mundo.

Decálogo para as férias

Estamos no tempo teórico de férias, mas muitos, por causa da situação económica, não poderão desfrutá-las. Outros trabalham mais que nunca ao serviço dos turistas que nos visitam e de quem faz férias. Mas no melhor dos casos – pelo menos alguns dias, ou nem que seja algumas horas – poderemos ir de férias. Também será uma boa ocasião para conhecer melhor o próprio país, os locais mais próximos, outras pessoas, e para penetrarmos mais no tesouro cultural do nosso património.
Estamos esgotados pelo confinamento e temos vontade de saborear – por escassos que sejam – alguns dias diferentes, de descanso, de espairecimento. Aqui ficam algumas reflexões para nos ajudar a viver estes dias.

Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial dos Avós e dos Idosos

avos

(4º domingo de julho – 25 de julho de 2021)
 
«Eu estou contigo todos os dias»

Queridos avôs, queridas avós!
«Eu estou contigo todos os dias» (cf. Mt 28, 20) é a promessa que o Senhor fez aos discípulos antes de subir ao Céu; e hoje repete-a também a ti, querido avô e querida avó. Sim, a ti! «Eu estou contigo todos os dias» são também as palavras que eu, Bispo de Roma e idoso como tu, gostaria de te dirigir por ocasião deste primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos: toda a Igreja está solidária contigo – ou melhor, connosco –, preocupa-se contigo, ama-te e não quer deixar-te abandonado.

Páscoa 2021 - Mensagem Pascal dos Párocos

mensagem-dos-parocos-pascoa-2021

Caros Paroquianos
Estamos na Páscoa. A Ressurreição de Jesus abre Horizontes de Esperança. Tal como a Primavera que faz esquecer a dureza do Inverno, confiamos que da escuridão da pandemia passaremos à Luz do Ressuscitado que dissipará as angústias e as dores da insegurança.

Apesar do distanciamento físico imposto pelo covid-19, ao longo de alguns meses, fizemos o que estava ao nosso alcance para nos mantermos próximos de todos. A Eucaristia que fomos celebrando às 11:30, de segunda a sábado, e a Eucaristia Dominical às 10:30, sempre transmitidas pelo facebook da Paróquia de Almacave e sem assembleia presencial, constituiram um momento muito próximo de todos os que na Paróquia, em Portugal ou no Estrangeiro podiam assim sentir-se acolhidos na sua Igreja Mãe.

Diocese de Lamego

Agência Eclesia