SOLENIDADE DO CORPO DE DEUS

A Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo é vulgarmente conhecida por Corpo de Deus. Celebra-se, normalmente, 60 dias depois da Páscoa, na quinta-feira a seguir ao primeiro domingo depois do Pentecostes.

No entanto, depois de acordo entre o Governo português e a Santa Sé foi estabelecido que seria suprimido, temporariamente, por cinco anos, o feriado corresponde a esta celebração religiosa, ocorrendo por isso este ano pela terceira vez, ao domingo, no dia 7 de Junho.
A festa do Corpo e Sangue de Cristo celebra-se normalmente numa quinta-feira para fazer referência à Quinta-feira Santa, dia da instituição da Eucaristia, dia da entrega de Cristo à humanidade num gesto de Amor infinito.

Foi no século XIII que se sentiu fortemente a necessidade de ressaltar esta festa, devido à importância da presença de Cristo em forma de pão e de vinho, forma tão humana, mas ao mesmo tempo tão rica de simbolismo. Foi o Papa Urbano IV quem instituiu a comemoração da festa de Corpus Christi, no ano 1264. No início, esta festa não teve muita repercussão no interior da Igreja. Após a sua instituição o Papa morre. Porém, aos poucos, foi tomando força e, hoje, é celebrada com grande solenidade em todo o mundo.

O Sacramento da Eucaristia é levado às ruas como um gesto e expressão de fé e, ao mesmo tempo, como convite à renovação da própria fé.
São os cristãos que traduzem a sua adesão a Jesus Cristo, presente na forma permanente de pão e manifestam o seu reconhecimento a essa presença amorosa do Senhor no meio do Seu povo, que permanece silenciosa e ininterrupta nos sacrários das nossas Igrejas.

Recorda-nos o Papa Emérito, Bento XVI: “a procissão de Quinta-feira Santa acompanhou Jesus na sua solidão, rumo à via Crucis. A procissão de Corpus Christi, pelo contrário, responde de maneira simbólica ao mandamento do Ressuscitado: precedo-vos na Galileia. Ide até ´aos confins do mundo, levai o Evangelho a todas as nações`”.
Testemunha também São João Paulo II na Encíclica «A Igreja vive da Eucaristia» (10): “A devota participação dos fiéis na procissão eucarística da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo é uma graça do Senhor que anualmente enche de alegria quantos nela participam”.
Assim tem sido, também, ao longo dos séculos, tornando-se a Procissão do Corpo de Deus a mais antiga e participada de todas as procissões.

Diocese de Lamego

Agência Eclesia